[Resenha] Graffiti Moon


 Título original: Graffiti Moon
Autora: Cath Crowley
Editora: Valentina

                Lucy é uma verdadeira artista do vidro. Seu talento lhe rendeu boas indicações para as faculdades australianas, porém o que ela mais deseja nesse momento é encontrar o Sombra. Tá certo, que conhecer o Poeta não seria um momento a se deixar passar, mas com o grafiteiro mais visceral do bairro, a ligação é mais forte. A arte da dupla funciona da seguinte maneira: Sombra desenha e o Poeta escreve. E apesar de todo sentimento usado nas palavras, o que mais mexe com o coração da moça são os desenhos.


                Ed está extremamente frustrado. Após a morte do Bert seu amigo e chefe na loja de tintas, o rapaz perdeu o emprego e com isso a situação que já era ruim para ele e a mãe ( a família de sangue que conhece) as coisas pioraram demais. O destino do rapaz era cursar uma das melhores faculdades para desenhistas/ ilustradores/ grafiteiros da Austrália, porém a decisão errada de abandonar a escola ainda na metade  do primeiro ano do ensino médio fechou as portas para ele. Seu grande amigo, que Ed considera um verdadeiro irmão que a vida lhe deu, o Leo sempre ajudou nos trabalhos escolares pois enquanto a arte do desenho era executada com excelência, o mesmo talento lhe faltava com as palavras.


                A história começa na última noite do ensino médio, quando Lucy está muito perto de conhecer o Sombra e descobrir quem ele é de verdade. Mas, por causa de cinco minutos ela perde o encontro com seu amado e a única opção que lhe resta é admirar a obra que ele acabou de fazer. Mesmo sem está muito na vibe, Lucy aceita sair com as amigas Jazz e Daisy para comemorar a formatura no ensino médio. Além deles, três garotos acabam aparecendo para se juntar as aventuras que a noite promete. Dylan, Leo e Ed também estudavam no mesmo colégio que as meninas e mesmo depois do desenhista ter abandonado a escola, a amizade entre os garotos continuou.


                Apenas as amigas da Lucy sabem, mas ela e o Ed já estiveram apaixonados um pelo outro. Esse sentimento os levou a um primeiro encontro fora da escola extremamente desastroso, que acabou com a garota decepcionada e com Ed de nariz quebrado. Por isso, quando eles  percebem que precisarão passar esta noite um em companhia do outro a primeira reação é de assuntos amorosos mal resolvidos, mas com o passar das horas, o amor pela arte e o amadurecimento de dois jovens que leva ao reencontro amoroso, muita coisa pode acontecer.


                Em “Graffiti Moon” o leitor conhece um universo novo e completamente diferente do que está acostumado, já que é possível conhecer  um pouco mais sobre a Austrália e o sistema de ensino desse país tão distante do Brasil. Além disso, o leitor pode entender um pouco mais do universo das artes, especificamente da poesia, arte em vidro e graffity . Assim, descobrimos como a arte urbana pode ser fundir a tradicional arte das palavras que é a poesia. Cath Crowley nos apresenta um contexto social de bastante contrastes entre os protagonistas da história. Embora não pertencesse a uma família rica, Lucy possui uma estrutura familiar e financeira mais confortável que o Ed. O fato dele ter sido criado apenas pela mãe, que nunca mediu esforços para suprir as necessidades do filho o levou a ser um jovem bem mais consciente de seu papel social. 

          Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário