[Resenha] Nove regras a ignorar antes de se apaixonar


Título original: Nine rules to break when romancing a rake
Autora: Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
  
                Lady Calpúrnia Hatwell nunca foi considerada uma beldade. Na verdade, desde a sua primeira temporada a moça foi colocada às margens dos salões de baile da aristocracia e esquecida por lá. Foi também em seu ano de debut que ela conheceu Gabriel St. John, o marquês de Ralston, um jovem que notou Calpúrnia em seu pior momento e por quem ela caiu de amores à primeira vista.


                Dez anos após sua estreia na alta sociedade a vida de Callie não está muito diferente. Ela ainda é deixada de lado, agora na área que é destinada as solteironas da aristocracia que não podem ser enviadas para morarem nas casas de campo de suas famílias. Assim, de debutante a jovem aos poucos se tornou a principal candidata a tia solteirona, pois sua irmã mais nova acaba de anunciar para família que foi pedida em casamento.

                Feliz pela irmã, que sempre foi sua amiga (e fez de tudo para nunca ser considerada superior ou mais interessante que a irmã mais velha) e cansada de ter que ouvir as gracinhas e indiretas da família por ainda está solteira, Callie se refugia no escritório do irmão para escapar. Mas, o que ela não esperava era que o próprio já estivesse lá, fugindo das mesmas provocações. É durante esse encontro clandestino de irmãos que a jovem é desafiada a quebrar sua primeira regra, mas como ela acha que tem que seguir o decoro em nome da reputação recusa a oferta.


                Mas, tudo muda quando Calpúrnia escuta uma conversa entre sua irmã e o noivo, na qual é considerada passiva demais. Na mesma hora e com o objetivo de provar à si mesma que não é tão sem graça quanto as pessoas pensam, a moça elabora uma pequena lista com nove regras à serem quebradas. E como se não bastasse ela decide por seus planos em prática na mesma noite, assim vai até seu quarto para trocar de roupa e sair para a primeira de suas aventuras.

                O marquês de Ralston, ou melhor, Gabriel St. John é sem sombra de dúvidas o maior libertino que se tem notícias na região em que mora. Famoso por suas aventuras e por ter inúmeras damas (casadas, solteiras, pobres ou ricas) correndo atrás dele, o homem parece não se incomodar nem um pouco com a fama que possui. Seu mais recente caso é com uma famosa cantora de ópera de formas e beleza bem generosas. Mas, agora as coisas estão diferentes, seu irmão gêmeo vai procurá-lo na casa da amante para dizer que eles têm uma irmã italiana que até aquele momento era desconhecida.


                A mãe dos gêmeos os abandonou a muito tempo atrás deixando o antigo marquês com os filhos ainda crianças. O abandono da mãe fez com que Gabriel deixasse de acreditar no amor, já que seu pai ficou extremamente devastado depois da marquesa ter deixado à família, assim o jovem jurou jamais se apaixonar e nunca casar. A notícia da chegada da irmã à Casa Ralston mexeu com os sentimentos dos gêmeos, especialmente os de Gabriel que se viu no dever de  assumir as responsabilidades sociais para com a moça.

                Mas, com sua fama de libertino incurável como ele faria para sua irmã, fruto de outro relacionamento da mãe, fosse aceita na aristocracia? Era preciso que uma dama de reputação impecável aceitasse lhe ajudar. É nessa hora, como se Gabriel tivesse conjurado a dama, que Lady Calpúrnia Hatwell Surge a sua porta no meio da noite e noite e com um pedido inesperado: um beijo apaixonado.


                Bem divertido, leve e extremamente sensual o enredo de “Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” leva o leitor a embarcar nas aventuras dos protagonistas e a torcer para que Calpúrnia quebre as regras que listou. São situações bem engraçadas e ousadas que nos fazem refletir sobre o quanto deixamos nos levar pelas regras sociais, acabamos nos esquecendo de nossos próprios objetivos e deixando de perseguir nossos sonhos.

                Trazendo essa história para 2017, Lady Calpúrnia representa facilmente todas as mulheres que provam todos os dias o poder de sermos “Girl Power” e o quanto isso tem haver com a conquista das nossas realizações pessoais através da superação dos nossos limites. Quem poderia imaginar uma solteirona do século 19, em uma taberna bebendo uísque? Ou ainda, que essa mesma mulher teria a coragem de disparar uma pistola? São exemplos desse tipo de empoderamento nos levam a acreditar na força e principalmente, na capacidade que as pessoas têm de superar seus limites.


                Sarah MacLean é conhecida por criar mocinhas que não se intimidam ou se deixam abater nas primeiras dificuldades. Talvez seja essa a fórmula que sempre leva seus livros a estarem entre os mais procurados. A série “Números do amor” é composta por três livros todos já publicados aqui no Brasil pela editora Arqueiro. Sarah MacLean escreveu vários livros, é vencedora do prêmio RITA na categoria Romances de época e também é colunista do The Washington Post. 

              Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 


Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário