[Lançamentos] A rainha está de volta


            Ninguém dúvida que a misteriosa Lady Whistledown é uma das melhores personagens da série Os Bridgertons. Influente cronista da aristocracia britanica, ela conquistou toda a sociedade com seu folhetim que relatava as noticias das temporadas sociais. Agora ela será essencial para desvendar um mistério que a aconteceu nas altas rodas: o roubo do bracelete de Lady Neeley.

            Esse será o enredo principal do novo romance de época da Julia Quinn, anunciado essa semana pela Editora Arqueiro. Além da criadora da cronista a publicação conta com a participação de mais três autoras: Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Rayn. O roubo da pulseira servirá como fio condutor entre os contos que se unem e formam uma obra de valor inestimável. Confira a sinopse:

Quem roubou o bracelete de lady Neeley?

Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816
Julia Quinn encanta...
Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela. 
Mia Ryan delicia...
Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.
Suzanne Enoch fascina...
Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.
Karen Hawkins seduz...
Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.
***
Seus lábios encontraram os dela, e Peter a beijou.
Ele a beijou, embora um beijo nunca fosse ser o bastante. Beijou-a ainda que nunca mais fosse tê-la.
E beijou-a para deixar sua marca de modo que, quando o pai finalmente a casasse com outro, Tillie tivesse a lembrança daquele momento, que a assombraria até o dia da sua morte.
Era cruel e egoísta, mas Peter não conseguiu se conter. Em algum lugar lá no fundo, ele sabia que Tillie era dele, e era doloroso saber que essa consciência primitiva não tinha valor nenhum no mundo da alta sociedade.
Ela suspirou contra a boca dele, um ruído suave que o penetrou como fogo.
– Tillie, Tillie – murmurou ele, levando as mãos até a cintura dela.
Ele a abraçou, depois a puxou ainda mais para si, com força.
– Peter! – disse ela, ofegante, mas ele a silenciou com outro beijo.
Ela se contorceu em seus braços, o corpo reagindo à sua investida. A cada movimento, o corpo dela encostava mais no dele, e o desejo de Peter ia ficando mais forte, mais quente, mais intenso.
Ele deveria parar. Tinha de parar. Mas não conseguia.
Em algum lugar dentro dele, sabia que aquela poderia ser sua única chance, o único beijo que daria nos lábios dela. E não estava pronto para interrompê-lo.

O primeiro beijo, Julia Quinn


      Alguém dúvida que temos um excelente romance em mãos?

      Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário